quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Sobre os protestos dos caminhoneiros

Já não é novidade que muitos caminhoneiros estão em protesto desde a semana passada em todo o Brasil. As reclamações principais dos trabalhadores são o aumento do diesel e dos pedágios, além da redução do valor do frete.
Mais de 10 estados brasileiros já foram atingidos pelos protestos, onde os caminhoneiros interditam estradas e acessos a portos. A AGU (Advocacia-Geral da União) já protocolou ações na Justiça Federal pedindo que esta conceda liminar para que as estradas (dos estados onde houve bloqueio de rodovias) sejam desbloqueadas e para que cada hora em que a decisão de desbloqueio for descumprida seja cobrada uma multa de R$ 100 mil.
Nesta quarta-feira, o governo vai receber representantes dos caminhoneiros em Brasília, mas de acordo com o ministro da Secretaria-Geral, Miguel Rossetto, não faz parte da pauta do governo a redução do preço do litro do óleo diesel.
Sobre o problema do frete, de acordo com a Fecamsp (Federação dos Transportadores Rodoviários Autônomos do Estado de São Paulo), relatou que o valor está com uma queda de 37%. A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) informou que o frete tem valor livre, e que costuma ser negociado entre contratante e contratado, o que é regulamentado é a forma de pagamento, para fins fiscais.
O estopim destes protestos foi o aumento do diesel, que está cerca de R$ 0,15 mais caro por litro, ou seja aumentou bastante como todos os combustíveis.
Fonte da imagem: Veja
Fonte: G1

Nenhum comentário: